segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Medo e amor

O medo é nosso parceiro em vários momentos da vida, constituindo nosso caráter e nosso modo de agir. Junto com o amor, o medo está na origem de nossa relação com o mundo.
Nascemos chorando, aterrorizados com uma existência fora da proteção do útero; sentimos a dor do parto, o frio do ambiente, as luzes machucando nossos olhos e a possibilidade imediata de sofrer até morrer. No colo tranquilizador, oferecido pelo amor de nossas mães, sabemos que sem seus braços podemos cair, nos desfazer ou morrer, sem amparo; na segurança materna nos protegemos de uma infantil fantasia aniquiladora.


Quando crescemos, sentimos outros medos que também participam de nossa personalidade: a punição pelas nossas atitudes erradas, a rejeição dos outros por sermos quem somos, a vergonha da crítica alheia, o horror de sermos violentados, as angústias sentidas pela possibilidade do fracasso, o terror de ficar sozinho ou de ser perseguido. Todas essas angústias preocupam nossos pensamentos e influenciam na maneira como nos relacionamos com o mundo.
A forma como lidamos com o medo revela muito sobre nós mesmos: há quem tenha raiva e coragem de enfretá-lo, há os prudentes que pensam na melhor maneira de controla-lo e há os que se acovardam quando se deparam com uma ameaça. Nossas posturas diante da vida é uma resposta aos medos que nos marcaram.
Flávio Tonnetti e Arthur Meucci


4 comentários:

✿ chica disse...

Medos... Um teme bem trazido e colocado aqui! Gostei de ler! bjs, lindo fevereiro! chica

Anete disse...

Texto ótimo, Tetê!
Os medos e culpas diárias, ainda bem que temos a Graça! Maravilhosa Graça!!

(Gostei do seu comentário/Educação, responderei por lá.)

Beijo

Clau disse...

Oi Tetê :)
Sentir medo em algumas situações é até bom e saudável,
afinal quando ativamos nosso instinto de autopreservação,
nos livramos de muitos males!
Mas tem medo, que precisa ser superado,
pois desestrutura a pessoa,
e só conseguimos isso enfrentando-o...
Ótima semana :) Beijos!

Mariangela do Lago Vieira disse...

Oi Tetê!
Um pouco de medo faz bem, não podemos permitir que ele atrapalhe a nossa vida!
Devemos seguir em frente orando sempre!
Com fé em Deus tudo correrá bem!
Beijão, ótima tarde!
Mariangela